Mais paulistanos saem do país, mostra Receita Federal

2-1-1200x600A publicitária Marcela Oliveira Silva, 27 anos, estava à procura de uma colocação melhor e esbarrava sempre na fluência em inglês, exigida para as posições que ela almejava. Convenceu-se de que precisaria morar fora para conseguir falar a língua como era necessário e, de quebra, ganhar mais experiência na vida pessoal.

Há dois anos e meio, foi para a Austrália com esses objetivos em mente e a perspectiva de voltar em no máximo um ano. Agora, não quer retornar tão cedo.
“Não foi a situação política e econômica que me fez sair do Brasil, mas é por causa dela que não penso em voltar agora”, afirmou.

A opção de Marcela, de sair do país e ficar por lá, está de fato em alta. Segundo dados da Receita Federal, o total de declarações de Imposto de Renda de saída definitiva na cidade de São Paulo só faz crescer. Neste ano, foram 3.832. Em 2013, primeiro ano em que os dados estão separados por cidade, 1.986 declarações do tipo foram entregues (veja evolução no quadro).

A Receita ressalta que as declarações podem incluir dependentes do contribuinte e, assim, esse número não corresponde ao total de pessoas que saiu do país no período.

Segundo a Receita, é obrigado a fazer a declaração quem sai do país em caráter permanente ou fica 12 meses consecutivos ou mais fora do Brasil.

Para Alexandre Almeida, sócio da consultoria Mazars Cabrera, é exatamente o fator apontado pela publicitária para não voltar o motivo para o aumento de pessoas saindo: crise econômica, alto número de desempregados e muita incerteza mesmo para quem tem emprego. “Toda essa incerteza faz com que principalmente pessoas mais qualificadas busquem oportunidades em outros mercados”, avalia.

Almeida afirma que São Paulo tem um volume muito grande de pessoas com qualificação e bilíngue, o perfil de quem pode conseguir oportunidades fora. E mais um fator, oriundo da origem miscigenada da cidade: “Muitos aqui conseguem passaporte de outra nacionalidade”, disse.

O consultor vê um problema extra nos dados da Receita. “A declaração de saída definitiva é uma preocupação de quem tem mais qualificação e mais acesso a informação. Esse aumento nesse tipo de declaração mostra que é um contingente mais qualificado que está saindo do país, que poderia ajudar a sair da crise com seu preparo”, afirmou.

Fonte: Metro Jornal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *